Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘t.A.T.u.’

Em vez de fazer uma lista dos melhores videoclipes dos últimos 10 anos, preferi começar enumerando aqueles que considero os mais influentes. São vídeos que ditaram ou refletiram tendências, estabeleceram marcos e provaram que o formato continua forte. Em ordem cronológica:

white stripes - fell in love with a girl2002: Fell in love with a girl, The White Stripes
Direção: Michel Gondry
Esta animação em stop-motion, toda feita com peças de Lego, fisgou o mundo pela criatividade e pela técnica, que, embora fosse artesanal, parecia digital. São apenas 2 minutos de rock urgente e arte pop, responsáveis por tornar famosa a dupla The White Stripes, que em seguida se tornaria um dos mais relevantes nomes da música nos anos 2000. E olha que seus integrantes sequer apareciam no clipe! Foi o triunfo da qualidade. O vídeo tem a cara do período e, de quebra, encabeçou um movimento espontâneo que solidificou o Lego como ícone pop retrô – hoje há móveis em forma de Lego, fotografias clássicas recriadas em Lego, capas de disco famosas em versões Lego etc. Assista!
.
.

tatu - all the things she said2002: All the things she said, t.A.T.u.
Direção: James Cox
Meninas cada vez mais novas decidem experimentar o sexo com iguais. Há quem diga que isso acontece porque as adolescentes se sentem hoje mais confortáveis para sair do armário. E há quem diga que é puro modismo juvenil, uma questão de atitude, sem profundidade. Seja como for, grande parte das garotas deste tempo se identificaram com este clipe, que mostra a dupla de cantoras russas t.A.T.u vestida de colegial e se beijando diante de uma sociedade careta. A mensagem do vídeo é de libertação, passando a ideia de que o preconceito – representado por uma grade – isola os preconceituosos, não suas vítimas. Na vida real, as cantoras não são lésbicas, mas seu romance forjado fez tremendo sucesso e o videoclipe foi adotado como bandeira. Assista!
.
.

johnny cash - hurt2003: Hurt, Johnny Cash
Direção: Mark Romanek
É o único videoclipe dos anos 2000 a figurar frequentemente nas listas dos 10 melhores clipes de todos os tempos, algumas vezes em primeiro lugar. Ninguém esperava que Johnny Cash, aos 71 anos, gravasse mais um disco. Muito menos que incluísse nele um cover de Hurt, música da soturna e hypada banda eletrônica Nine Inch Nails. Nem que ele se apropriasse da canção de modo a fazer dela sua nova marca registrada. Nem que Cash fizesse um videoclipe para ela, no qual se despede simbolicamente da carreira e da vida. Nem que ele e sua esposa, June Carter, que aparece ao seu lado no clipe, morressem pouco depois do lançamento. É um clipe lindo, singelo e que faz muita gente chorar. Quantos conseguem isso? Assista!
.
.

george michael - shoot the dog2002: Shoot the dog, George Michael
Nenhuma outra época teve tantos videoclipes politizados quanto os anos 2000. Destes, a maioria protestava contra o governo Bush e seus anos de guerra, como Wake me up when september ends (Green Day), Boom! (System of a Dawn), Mosh (Eminem) e American Life (Madonna). Mas quem deu a largada nessa tendência foi George Michael, que em 2002 fez um clipe de animação em que o então primeiro ministro britânico Tony Blair era retratado como o cachorrinho obediente de George W. Bush, por sua vez mostrado como um imbecil belicista. O clipe fez um certo barulho. E conforme a opinião pública foi se voltando contra Bush, outros artistas seguiram o exemplo do cantor e lançaram videoclipes com o mesmo objetivo: frear o presidente. Assista!
.
.

ok go - here it goes again2006: Here it goes again, OK GO
Direção: Trish Sie
Logo no ano de 2005, quando o YouTube foi lançado, a então desconhecida banda de rock americana OK GO fez sucesso no site com um videoclipe caseiro para sua música A million ways, cuja coreografia virou hit na web e é copiada até hoje. No ano seguinte, ainda de forma amadora, eles fizeram outro clipe tosco, porém genial, todo coreografado sobre esteiras, daquelas em que as pessoas se exercitam nas academias. Era Here it goes again. Resultado: a bandinha de garagem ganhou notoriedade mundial. Assim, eles mostraram que vivíamos uma nova era, em que uma câmera digital qualquer e uma boa ideia são capazes de levar alguém ao estrelato via internet. O videoclipe alcançou uma nova dimensão. Estava aberto o novo caminho, e ele vem sendo trilhado desde então por milhares de artistas, com maior ou menor sucesso. Assista!
.
.

arcade fire - my body is a cage2007: My body is a cage, Arcade Fire
Edição: J. Tyler Helms, com imagens de Sergio Leone
Nos anos 2000, a classe média ganhou vasto acesso a internet rápida, equipamentos de captação de vídeo e ferramentas de edição. Com isso, ganharam força os fan-made videos, videoclipes caseiros feitos por fãs. Talvez o exemplo mais bem acabado disso seja o clipe que o até então anônimo J. Tyler Helms fez para My body is a cage, canção da banda Arcade Fire. Todo feito com imagens do cineasta italiano Sergio Leone, extraídas (sem permissão) do filme Era uma vez no Oeste (1969),  este clipe não-oficial virou hit na web, tornou conhecida uma canção que nem era música de trabalho da banda e inspirou muita gente a tentar fazer em casa outros casamentos perfeitos entre música e imagem. Não é um clipe oficial, mas funcionou como se fosse, talvez até melhor, quisesse a banda ou não. Assista!
.
.

justice - dance2007: D.A.N.C.E., Justice
Direção: Jonas & François
Um videoclipe que é mais famoso que o artista. A dupla eletrônica francesa Justice ganhou notoriedade com este vídeo, embora seus rostos estejam sempre fora de quadro. O foco está nas mensagens que se multiplicam em profusão em suas camisetas, graças a uma animação simples, eficiente, criativa e cativante. Uma das mensagens diz “Internet killed the video stars”, em alusão a Video killed the radio star, clipe do Buggles que inaugurou a MTV em 1980. Essas “camisetas mágicas” geraram diversas imitações na TV (aberturas, vinhetas, comerciais) e inspiraram a criação de incontáveis camisetas mundo afora, tornando-se uma forte referência dos anos 2000. Assista!
.
.

avril lavigne - girlfriend2007: Girlfriend, Avril Lavigne
Direção: The Malloys
Foi nos anos 2000 que a MTV e outros canais reduziram o espaço dedicado aos videoclipes em sua programação, preferindo os reality-shows. Mas foi também a época do advento da internet rápida e dos formatos compactos de vídeo digital, terreno que possibilitou a criação e vertiginosa ascensão do YouTube e outros sites de vídeo. Isso contribuiu muito para uma mudança radical na forma como consumimos entretenimento. Para medir a popularidade de um videoclipe, por exemplo, já não interessa muito a quantidade de vezes que ele foi exibido na TV. Além disso, o público já não telefona para as emissoras de TV pedindo para elas passarem seus clipes favoritos. O índice que importa agora é a quantidade de vezes que esse vídeo foi assistido no YouTube. Nesse ranking, Girlfriend, de Avril Lavigne, é o videoclipe mais popular desde a criação do site, em 2005, tendo sido visto mais de 127 milhões de vezes. Desde então, uma das grandes metas atuais de sucesso é desbancar Girlfriend da primeira posição. Ou seja: o videoclipe fez de Avril Lavigne um parâmetro da indústria – passageiro, certamente. Assista!
.
.

weezer - pork & beans2008: Pork & Beans, Weezer
Direção: Mathew Cullen
Já foram feitos muitos videoclipes inspirados no cinema, na publicidade, fotografia, dança, artes plásticas e programas de televisão. Pork & beans, do Weezer, é inspirado na internet. Para este clipe, a banda reuniu uma penca de celebridades da web, numa brincadeira que faz muito sentido para milhões de internautas mundo afora. Estão no vídeo os sujeitos que misturaram Mentos com Coca-Cola, o fã que chorava implorando para que a mídia deixasse Britney Spears em paz e muitas outras celebridades instantâneas e passageiras das novas mídias. Não foi o primeiro clipe a integrar TV e internet, mas foi o que teve mais visibilidade e gerou mais repercussão, a ponto de vencer o Grammy de melhor videoclipe e fazer de Pork & beans a música de maior sucesso dos 17 anos de carreira do Weezer. Assista!
.
.

beyonce - single ladies2008: Single ladies (put a ring on it), Beyoncé
Direção: Jake Nava
Nos últimos dez anos, não houve videoclipe mais imitado, parodiado e citado do que este. A coreografia dançada por Beyoncé – inspirada em um número de dança criado por Bob Fosse nos anos 60 – foi replicada na internet e na TV por apresentadores, cantores, humoristas, atores e anônimos. Nas festas, é comum alguém repetir os passos quando a música toca. No YouTube há uma quantidade incrível de referências a Single ladies, um clipe que não trouxe nenhuma novidade, mas que prende o olhar e é, talvez, o mais famoso dos anos 2000. Assista!

Anúncios

Read Full Post »