Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘RollingStone’

Em 2005, a Sociedade Americana dos Editores de Revistas (ASME, na sigla em inglês) fez uma lista daquelas que seriam as 40 melhores capas de revista norte-americanas editadas desde 1965. Mostro aqui algumas delas. Para ver todas, é só ir no site da American Society of Magazine Editors.

 

1. RollingStone (22/01/1981) – A linda foto de John Lennon e Yoko Ono foi feita pela fotógrafa Annie Leibovitz algumas horas antes de o cantor ser assassinado. A imagem acabou sendo usada de uma forma que não era a pretendida: como capa de uma edição em homenagem póstuma ao ex-beatle.

 

2. Vanity Fair (agosto/1991) – O que uma boa capa não é capaz de fazer? Esta, também fotografada pela incrível Annie Leibovitz, fez mais por Demi Moore do que o filme Ghost. Sua foto nua e grávida teve tanta repercussão que não seria exagero dizer que essa capa da Vanity Fair ajudou a alçar a atriz ao primeiro time de Hollywood, status que levou um bom tempo para ser perdido.

 

3. Esquire (abril/1968) – Uma capa polêmica para um assunto polêmico. O pugilista Muhammad Ali (Cassius Clay) havia se recusado a servir ao Exército americano – o que é contra a lei – em plena Guerra do Vietnã, por questões religiosas. Como represália, ele foi impedido de lutar e perdeu seus títulos de campeão. Esta capa da Esquire, idealizada pelo designer George Lois, expunha o lutador flechado como São Sebastião, santo que, além de ser padroeiro dos atletas, morreu por ter se mantido fiel a sua crença. Imagine o tamanho do escândalo nos anos 1960: uma revista de prestígio defendia a deserção do Exército mostrando em sua capa um negro muçulmano que imitava um santo católico!

 

5. Esquire (maio/1969) – O artista plástico Andy Warhol topou aparecer numa capa irônica, que alardeava um suposto declínio da arte de vanguarda nos EUA. Representante máximo da vanguardista pop art, Warhol aparece afundando numa lata de sopa Campbell, um dos mais famosos ícones de sua obra. De quebra, o artista ainda se mostrava totalmente despido do glamour que sempre o cercou no mundo dos ricos e famosos. A direção de arte também é de George Lois.

 

6. The New Yorker (24/09/2001) – A capa parece totalmente vazia, exceto pela logo, mas repare bem: a silhueta das torres gêmeas do World Trade Center está lá. É como se, mesmo no vazio, elas continuassem sendo vistas, como um fantasma ou uma memória que não se consegue deixar para trás. A revista saiu poucos dias após a destruição dos prédios. O trabalho é de Art Spiegelman, inspirado na obra de Ad Reinhardt e editado por Farnoise Mouly.

 

7. National Lampoon (janeiro/1973) – Esta é a capa mais famosa da lendária revista de humor. A chamada diz: “Se você não comprar esta revista, nós vamos matar este cachorro”. Foto de Ronald G. Harris.

 

8. Esquire (outubro/1966) – Esta capa vai contra a idéia de que uma imagem vale mais que mil palavras. A reportagem em questão tinha 33 mil palavras, a mais longa da história da Esquire, e ajudou a mudar a opinião pública americana em relação à Guerra do Vietnã. A matéria, escrita por John Sack, é um dos marcos do New Journalism (novo jornalismo). A chamada diz: “Oh, meu Deus, nós acertamos uma garotinha.”

 

10. National Geographic (junho/1985) – A foto, feita por Steve McCurry, é uma das mais famosas de todos os tempos. Ela mostra o medo estampado nos incríveis olhos azuis de uma menina de 12 anos, refugiada que vivia em condições miseráveis num campo na fronteira do Afeganistão com o Paquistão. Na época, a União Soviética guerreava contra o Afeganistão, que era apoiado pelos EUA. Como se sabe, o feitiço virou contra o feiticeiro em 11 de setembro de 2001.

 

11. Life (30/04/1965) – Antes da publicação dessa edição da Life, repleta de fotos impressionantes feitas por Linnart Nilssons, o mundo não sabia exatamente como era um feto dentro de um útero. O que aparece na capa tinha 18 semanas de gestação. As discussões pró e contra o aborto nunca mais foram as mesmas. O livro de Nilssons com esta e outras fotos vendeu oito milhões de exemplares em apenas quatro dias.

 

12. Time (08/04/1966) – “Deus está morto?” É a pergunta feita pela Time numa capa sem foto ou ilustração alguma. Na reportagem, diversos estudiosos e teólogos anunciavam a ausência de Deus na vida das pessoas e a morte da religião. Imagine a reação dos leitores americanos.

 

13. Life Edição Especial (1969) – Esta edição histórica mostrava e contava tudo sobre a chegada da Apollo 11 na Lua. Na capa, o astronauta Buzz Aldrin, fotografado pelo colega Neil Armstrong. A revista traz imagens que marcaram a história da Humanidade e influenciaram a cultura.

 

15. Harper’s Bazaar (abril/1965) – Esta capa, que mostra a modelo Jean Shrimpton usando um simulacro de capacete espacial cor-de-rosa, foi fotografada por Richard Avedon e é um dos ícones dos anos 1960.

 

16. The Economist (10-16/09/1994) – Quem poderia imaginar que algum dia a mais renomada revista especializada em economia traria em sua capa uma foto de dois camelos em plena cópula? Foi a imagem que The Economist escolheu para alardear sua matéria sobre o lado ruim da fusão entre empresas.

 

17. Time (21/06/1968) – A ilustração é de Roy Lichtenstein. Um revólver fumegante apontado para o leitor alertava para a necessidade urgente de regulamentar a compra e a venda de armas nos EUA. Martin Luther King e Robert Kennedy tinham acabado de ser assassinados. Até aquele momento, por incrível que pareça, nenhuma lei americana impedia que armas fossem compradas por menores de idade, deficientes mentais ou criminosos. O Congresso mudou isso naquele mesmo ano.

 

20. Blue (outubro/1997) – Esta capa é um clássico do designer David Carson, feita para a edição inaugural da revista Blue, voltada para pessoas com espírito de aventura.

 

21. Life (26/11/1965) – “A dura realidade da Guerra do Vietnã”. Com essa chamada e a foto de um prisioneiro vietcongue vendado e amordaçado, a revista Life ajudou a mostrar aos americanos que aquela guerra não era exatamente como todos pensavam. A foto foi feita por Paul Schutzers.

 

24. Interview (dezembro/1972) – Esta edição de Natal da Interview trazia Andy Warhol, fundador da revista, fotografando a modelo (e futura cantora) Grace Jones.

 

25. Time (14/09/2001) – Outra grande capa sobre os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001. A capa da Time, com fotografia de Lyle Owerkoof, não precisava de chamada. Era impossível alguém nos EUA não saber do que se tratava.

 

29. Playboy (outubro/1971) – Fundada em 1953, a revista Playboy esperou até 1971 para estampar uma mulher negra em sua capa pela primeira vez. A escolhida foi Darine Stern, fotografada por Richard Fegley numa cadeira com o formato do coelhinho símbolo da publicação.

 

29. Fortune (01/10/2001) – O 11 de Setembro rendeu várias ótimas capas. Outra delas foi esta da Fortune sobre as conseqüências financeiras do ataque terrorista. A foto, que mostra um executivo sobrevivente da queda das torres gêmeas, é uma das mais famosas da tragédia.

 

36. People (15/09/1997) – Esta foi a última das 52 capas que a revista People dedicou à princesa Diana ao longo de sua existência. A ex-mulher de Charles era garantia de vendas para a publicação, especializada em bisbilhotar a vida de celebridades. Foi nessa roda-viva que Diana morreu, e a People explorou sua imagem pela última vez com uma capa bastante elegante, fora de seus padrões.

 

37. National Geographic (outubro/1978) – Mais impressionante do que ver um gorila empunhando uma câmera fotográfica na capa de uma revista é descobrir que tal foto é, na verdade, um auto-retrato, feito pelo próprio animal diante de um espelho e com ótima qualidade técnica. A reportagem de capa tratava de recentes descobertas sobre a capacidade lingüística dos gorilas.

Anúncios

Read Full Post »

rollingstone-greatestsingerA edição deste mês da RollingStone americana traz na capa uma nova lista: os cem melhores cantores de todos os tempos. Foi feita uma votação com diversos cantores famosos e especialistas em música para se chegar ao resultado. Deu Aretha Franklin na cabeça.

Pra variar, a lista tem potencial para levantar várias polêmicas. Para início de conversa, por que Ella Fitzgerald, Billie Holiday e Frank Sinatra não foram incluídos? Aparentemente, só foram considerados cantores surgidos a partir dos anos 50. Portanto, não são os melhores de “todos os tempos”, mas da “era do rock”. E se são da Era do Rock, é estranho incluir gente como Nina Simone, que é maravilhosa, mas que não é do universo do rock. Mas, enfim… Listas são assim mesmo.

De todo modo, vale a pena dar uma olhada na revista, porque ela traz textos legais sobre cada artista. Tem, por exemplo, um texto de Iggy Pop sobre James Brown, um de Robert Plant sobre Elvis Presley, outro de Bono sobre Bob Dylan.

Segue o Top 100: 

  1. Aretha Franklin
  2. Ray Charles
  3. Elvis Presley
  4. Sam Cooke
  5. John Lennon
  6. Marvin Gaye
  7. Bob Dylan
  8. Otis Redding
  9. Stevie Wonder
  10. James Brown
  11. Paul McCartney
  12. Little Richard
  13. Roy Orbison
  14. Al Green
  15. Robert Plant
  16. Mick Jagger
  17. Tina Turner
  18. Freddie Mercury
  19. Bob Marley
  20. Smokey Robinson
  21. Johnny Cash
  22. Etta James
  23. David Bowie
  24. Van Morrison
  25. Michael Jackson
  26. Jackie Wilson
  27. Hank Williams
  28. Janis Joplin
  29. Nina Simone
  30. Prince
  31. Howlin’ Wolf
  32. Bono
  33. Steve Winwood
  34. Whitney Houston
  35. Dusty Springfield
  36. Bruce Springsteen
  37. Neil Young
  38. Elton John
  39. Jeff Buckley
  40. Curtis Mayfield
  41. Chuck Berry
  42. Joni Mitchell
  43. George Jones
  44. Bobby “Blue” Bland
  45. Kurt Cobain
  46. Patsy Cline
  47. Jim Morrison
  48. Buddy Holly
  49. Donny Hathaway
  50. Bonnie Raitt
  51. Gladys Knight
  52. Brian Wilson
  53. Muddy Waters
  54. Luther Vandross
  55. Paul Rodgers
  56. Mavis Staples
  57. Eric Burdon
  58. Christina Aguilera
  59. Rod Stewart
  60. Björk
  61. Roger Daltrey
  62. Lou Reed
  63. Dion
  64. Axl Rose
  65. David Ruffin
  66. Thom Yorke
  67. Jerry Lee Lewis
  68. Wilson Pickett
  69. Ronnie Spector
  70. Gregg Allmann
  71. Toots Hibbert
  72. John Fogerty
  73. Dolly Parton
  74. James Taylor
  75. Iggy Pop
  76. Steve Perry
  77. Merle Haggard
  78. Sly Stone
  79. Mariah Carey
  80. Frankie Valli
  81. John Lee Hooker
  82. Tom Waits
  83. Patti Smith
  84. Darlene Love
  85. Sam Moore
  86. Art Garfunkel
  87. Don Henley
  88. Willie Nelson
  89. Solomon Burke
  90. The Everly Brothers
  91. Levon Helm
  92. Morrissey
  93. Annie Lennox
  94. Karen Carpenter
  95. Patti LaBelle
  96. B. B. King
  97. Joe Cocker
  98. Stevie Nicks
  99. Steven Tyler
  100. Mary J. Blige

Read Full Post »

A RollingStone brasileira deste mês, com Gilberto Gil na capa, traz uma lista dos cem melhores artistas da música popular brasileira em todos os tempos, segundo votação realizada pela revista com dezenas de especialistas. Como toda lista, gera discussão. Chico Science é mais importante que Vinicius de Moraes e Villa-Lobos? Renato Russo é superior a Ary Barroso? Mano Brown está acima de Cazuza? Max Cavalera é mais relevante que Braguinha? Lobão é maior que Orlando Silva? Marcelo Camelo marcou mais que Francisco Alves? Como assim, especialistas?

Veja os 20 primeiros colocados:

1. Tom Jobim
2. João Gilberto
3. Chico Buarque
4. Caetano Veloso
5. Jorge Ben Jor
6. Roberto Carlos
7. Noel Rosa
8. Cartola
9. Tim Maia
10. Gilberto Gil
11. Dorival Caymmi
12. Pixinguinha
13. Luiz Gonzaga
14. Elis Regina
15. Rita Lee
16. Chico Science
17. Paulinho da Viola
18. Vinicius de Moraes
19. Raul Seixas
20. Milton Nascimento

Read Full Post »