Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘James Bond’

Se eles existissem de verdade e estivessem à venda nas lojas, seria uma felicidade. Ou uma loucura. Ou um fracasso. Depende. Na ficção, há bolsas, relógios, sapatos, chapéus, cintos e joias absolutamente incomuns e poderosos. Listo aqui os mais famosos. Como seria se pudéssemos ter esses acessórios maravilhosos? 

 

OS BRACELETES DA MULHER MARAVILHA

Os braceletes da Mulher MaravilhaNão são apenas estilosos, são também indestrutíveis. Não tem tiro ou raio que os destrua, o que faz deles verdadeiros escudos. Porém, na vida real, eles provavelmente só serviriam como enfeite mesmo. Afinal de contas, os braceletes não viriam com a agilidade da Mulher Maravilha, tão hábil em rebater os ataques dos seus inimigos. Em tempos de bala perdida, nem esses braceletes dariam jeito.

 

A BOLSA E O GUARDA-CHUVA DA MARY POPPINS

mary poppinsEssa bolsa faria o maior sucesso em qualquer cor ou modelo, pois ela tem fundo infinito. Cabe tudo ao mesmo tempo ali dentro! Deve dar até pra morar na bolsa. Mas imagine quantos ladrões usariam a bolsa pra furtar desvairadamente as mercadorias das mais diversas lojas! Tem gente que surrupia objetos pequenos, mas, com essa bolsa, dá pra levar objetos enormes “na encolha”. Imagine também a dificuldade que seria revistar uma bolsa assim… Já o guarda-chuva da Mary Poppins, capaz de alçar voo, exigiria braços malhados para sustentar o peso do corpo inteiro.

 

A BOLSA AMARELA DE RAQUEL

A bolsa Amarela de RaquelEsta bolsa, inventada pela escritora Lygia Bojunga, oferece uma facilidade que a bolsa de Mary Poppins não tem: nela cabem todas as vontades de uma pessoa, que podem ficar guardadinhas em segurança, na impossibilidade de serem satisfeitas. No livro, a personagem Raquel a usa da seguinte maneira: sob um zíper, ela esconde a vontade de ser gente grande; sob outro, a vontade de escrever; e dentro de um bolso de botão, ela guarda a vontade de ter nascido menino. Se existisse uma bolsa assim à venda, talvez uma única compra (esta!) substituísse sessões e mais sessões de terapia.

 

MANTO DA INVISIBILIDADE DE HARRY POTTER

Manto da invisibilidade de Harry PotterO chato está chegando? Não fuja, apenas fique invisível! Seria uma boa, mas, com certeza, a maioria das pessoas usaria o manto para bisbilhotar a vida alheia. E muita gente aproveitaria a facilidade para cometer crimes.

 

OS GADGETS DE JAMES BOND

James Bond e QNa série de filmes (e livros) do agente 007, o personagem Q é um velhinho genial que inventa os mais interessantes acessórios para James Bond. Grande parte deles era futurista em seu tempo, mas ficou obsoleta ou banal, como o relógio com tela de cristal líquido, os óculos com microcâmera embutida e a caneta com gravador de voz. Os demais acessórios são armas perigosas, caso da caneta que dispara tiros, do sapato com lâminas na ponta e da cigarreira explosiva. Mas ainda tem coisa que se salva, como os óculos com raio-x. Enfim, nada para o público comum.

 

O SAPATINHO DE CRISTAL DA CINDERELLA

Sapatinho de cristal da CinderelaNa prática, ele seria desconfortável, frágil e perigoso. Porém, se realmente ajudasse a mulherada a encontrar seu príncipe encantado, sim, elas pagariam qualquer dinheiro por um par de sapatos duros que quebrassem à toa.

 

OS SAPATOS VERMELHOS DE DOROTHY

Os sapatinhos vermelhos da DorothyEm O Mágico de Oz, romance de 1900, o escritor L. Frank Baum criou um par de sapatinhos prateados que são capazes de levar qualquer pessoa a qualquer lugar, para sorte da menina Dorothy. Isso deve ser melhor do que GPS, mas é de um tempo em que as pessoas caminhavam mais, quando ninguém tinha carro. Esses sapatos são mais conhecidos na cor vermelha, como eles apareceram no filme de 1939 – afinal, era preciso explorar ao máximo o Technicolor, novíssimo recurso do cinema.

 

O GORRO DO SACI PERERÊ

O gorro do Saci PererêDiz a lenda que se você conseguir roubar o gorro (ou touca) do Saci, ele vira seu escravo, faz qualquer coisa pra conseguir obter seu acessório de volta. Ou seja: é uma questão pessoal, não adiantaria nada comprar um gorro igualzinho ao do Saci. Se o personagem fosse real, ele estaria em maus lençois. Ou você acha que alguém roubaria o gorro do Saci para obrigá-lo a fazer uma boa ação?

 

VARINHA DE CONDÃO

Fada Madrinha e a vara de condãoEste acessório é um clássico, quase tão antigo quanto a civilização. Diversos magos, bruxas e fadas têm a sua, desde que existe ficção. Na Odisseia, de Homero, já aparecia uma. Ou seja: ela é cobiçada desde o século VIII a.C. Mas a verdade é que a vara de condão não serve de nada se seu detentor não tiver poderes mágicos ou, ao menos, um bom conhecimento de magia.

 

O ANEL DO PODER

Frodo e o anelEm O Senhor dos Anéis, história criada por J. R. R. Tolkien em 1937, um anel é capaz de dar poder ilimitado sobre todas as coisas. Não por acaso, existe uma busca milenar pelo acessório. Detalhe: quando você põe o anel no dedo, você enxerga uma outra realidade, mais ou menos como uma viagem de ácido instantânea e sem danos à saúde (Frodo que o diga). Só que esse anel só funciona na Terra Média, e não é lá que vivemos.

 

O SAPATOFONE DO AGENTE 86

O sapatofone do Agnte 86Ele é de uma época (1965) em que ninguém se importaria de ficar descalço para falar ao telefone, desde que fosse seu próprio telefone portátil e sem fio, que funcionasse em qualquer lugar. Celular, naquele tempo, era ficção científica. Embora fosse uma piada, o sapatofone certamente faria o maior sucesso se existisse de verdade nos anos 60. Hoje, porém, ele encalharia nas lojas.

 

O BAT-CINTO DE UTILIDADES DO BATMAN

batbeltCriado em 1939, este é o acessório mais versátil, famoso e, talvez, cobiçado de todos da ficção. Tem de tudo nele: cápsulas de gás paralisante, antídotos contra venenos, aquecimento, cordas de náilon, microcâmera, bombas de fumaça, o escambau! Ao longo dos últimos 70 anos, Batman o usou em vários modelos. Nada mais fashion e útil. Se existisse de verdade, o mundo estaria livre das pochetes.

Read Full Post »

Pois é, James Bond se dá bem na literatura, no design, no cinema, de tudo que é jeito. As mais belas sempre caem na rede dele.

Read Full Post »

Não ligo muito para os filmes de James Bond, mas, por alguma razão, sempre fico na expectativa para saber de quem será e como será a música tema de cada novo episódio da série. É uma tradição do mundo pop. Em geral, quem é convidado a compor, produzir ou cantar a música se sente honrado e se esforça para fazer jus a tal distinção. Nesse panteão se encontram nomes consagrados e também modismos do passado: Paul McCartney, Shirley Bassey, Tina Turner, Madonna, Duran Duran, A-ha, Garbage, Sheena Easton, Carly Simon, Nancy Sinatra, Tom Jones, Louis Armstrong e tantos outros.

Agora é a vez de Jack White (das bandas White Stripes e Raconteurs) em dueto com Alicia Keys. A improvável dupla foi escalada para ficar à frente de Another way to die, tema do próximo filme da franquia 007, Quantum of Solace. O curioso é que, apesar da presença de Alicia na gravação, quem se sobressai é White. Ele é quem domina a canção, com sua voz, sua letra, sua música, sua guitarra. Another way to die poderia ser do White Stripes. Alicia Keys sobra, ao contrário do que se podia esperar de uma cantora-negra-americana-de-R’N’B-contemporâneo-com-vozeirão.

Para ouvir a música na íntegra, clique aqui!

E veja como ficou estiloso o novo comercial da Coca-Cola Zero, que usa a música:

Obs.: Jack White não sabia que sua música seria usada num comercial e ficou furioso.

Read Full Post »